Inter, tu és minha paixão

 

     “O Clube do Povo do Rio Grande do Sul”, antes Campeão Estadual, único Campeão Invicto do Campeonato Brasileiro - agora é Campeão do Mundo FIFA, Bicampeão da Libertadores, Campeão da Sul-Americana, da Recopa.

     O interesse pelo futebol, em especial pelo Inter, começou em 2005, ano que coincidiu com a conquista do Campeonato Gaúcho, a classificação à Libertadores e sim, o mais polêmico Campeonato Brasileiro que por uma decisão judicial, prejudicou o Internacional, beneficiando o Corinthians  que foi o campeão naquele  ano.  O Inter ficou na segunda posição.

     Em 2005, o Inter decidia o Campeonato Gaúcho contra a equipe do 15 de Novembro. Meu pai, Romeu Glienke, sempre que podia acompanhava os jogos, mas justamente no dia da final ele não pôde assistir, pois a colheita da soja estava no seu auge. Nesse dia ele me pediu que fosse acompanhar o resultado final do jogo. Não apenas acompanhei como também anotei todos os lances cruciais da partida, para que pudesse contar a ele quando retornasse.

     Ainda em 2005, tive a oportunidade, juntamente com meus colegas da 8ª série da escola Marcílio Dias, do interior de Victor Graeff, de visitar Porto Alegre e conhecer os estádios, tanto o Olímpico quanto o Beira-Rio. “Um comportamento, até certo ponto irreconhecível”. Essa definição eu uso hoje, para definir o que aconteceu naquele dia. Nervosa, eu tremia pelo simples fato de avistar o estádio. Quando vi os jogadores treinando, me senti realizada. Para completar recebi a notícia que o Rafael Sóbis iria nos conceder uma sessão de autógrafos e algumas fotos. Esse dia é mais um que ficará registrado na minha história com o clube.  

     Já em 2006, um ano memorável. Dia 16 de agosto - Beira-Rio. Adversário: São Paulo. Noventa e sete anos de história, um título tão cobiçado, enfim conquistado. A Taça Libertadores daquele ano foi conquistada pelo Inter depois de vencer o São Paulo no Morumbi por 2 a 0. Com melhor campanha na Libertadores, a decisão foi no Beira- Rio em meio a 40 mil colorados que vibrantes cantavam na arquibancada o grito de É CAMPEÃO, depois de empatar em 2 a 2 com o São Paulo.

     Para dar sequência aos títulos no ano, em dezembro o colorado embarcou rumo ao Japão. Na bagagem, humildade e respeito, pois o adversário era o Barcelona. Antes de enfrentar os catalões, o Inter fez sua estréia no Mundial contra o Al Ahly, e venceu por 2 a 1 com jogadas encantadoras de Alexandre Pato. Enquanto o Inter enfrentava o Al Ahly, o Barcelona massacrava o América vencendo por 4 a 0. A grande final, dia 17 de dezembro às 8 horas (horário de Brasília) entre Barcelona e Inter deixou muito colorado sem sono na noite anterior. Diferente de milhares de colorados que acompanhavam o jogo, eu estava concentrada realizando uma prova, um pré-vestibular para ingressar na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Estava concentrada até o momento em que foguetes, gritos foram ouvidos na sala. Nesse instante estava na parte final da prova, assinalei o cartão-resposta e sai em disparada para ver o que estava acontecendo, pois não sabia se as manifestações vinham de gremistas ou de colorados. Quando vi o placar na tela, não pude acreditar. Mesmo acreditando, o adversário era muito superior e uma derrota simples não iria me deixar triste. Depois das comemorações no dia, passeatas, almoço comemorativo, promessas sendo cumpridas, durante a semana parei para ver todas as informações do jogo em jornais, TV, no rádio e todas as análises, conclusões feitas demonstraram a superioridade no jogo do Inter, que jogou nos contra-ataques. E foi no contra-ataque que Adriano Gabiru, contestado Gabiru,  recebeu a bola e marcou o gol do título mundial.

      Aos 15 anos eu acompanhei o Inter ser Campeão do Mundo FIFA. O Inter conquistando o primeiro título a nível internacional e meu trabalho completando 1 ano.

       Ao longo desses 6 anos acompanhando assiduamente as partidas, os comentários as repercussões nos meios de comunicação resultaram na criação de um blog www.policolorada.blogspot.com. Nele são postadas informações esportivas locais, nacionais e jogos, informações das partidas e campeonatos dos quais o Inter participa. Além do blog, um twitter @policolorada e Facebook, são ferramentas usadas para informar e interagir com os internautas. 

     Vários momentos, histórias envolvendo o Inter estão registrados, entre eles: A primeira visita ao estádio, quando conheci um dos meus ídolos, Rafael Sóbis; o primeiro jogo ao vivo, Inter 1 x 0 Vasco, pelo Campeonato Brasileiro em 2010;  a reportagem no Jornal Diário da Manhã de Carazinho e a nomeação como assessora de marketing do consulado do Inter de Não-Me-Toque. Site http://www.coloradosnaometoque.com.br/web/

     Sempre que possível vou à associação assistir aos jogos, acompanhada de um caderno e uma caneta. Depois retorno e ouço as coletivas. Como afirma determinada comunidade na rede social do Orkut  - “agora não posso tenho jogo do Inter”.